Cymi energiza LT no RS com 18 meses de antecipação

Empresa recebeu as licenças de operação da Fepam na última segunda-feira, 23

O sistema elétrico e o escoamento da geração de energia do Rio Grande do Sul ganharam um importante reforço. A CYMI, através de sua subsidiária Chimarrão Transmissora de Energia, energizou nesse último final de semana, 21 e 22 de agosto, as Linhas de Transmissão do Lote 10 do Leilão de Transmissão nº 004/2018, arrematado em dezembro de 2018, antecipando em 18 meses o Contrato de Concessão original assinado com Aneel.

Em cerimônia realizada na última segunda feira, 23 de agosto, no município de Rio Grande, a Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) formalizou a entrega de duas Licenças de Operação (LOs) com Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) ao consórcio. Os documentos permitiram o início da atividade de Linhas de Transmissão que somam 534 km de extensão. As LOs para as subestações de energia associadas já haviam sido emitidas pela Fundação em julho de 2021.

As linhas que saem da Região Sul passam pelos municípios de Santa Vitória do Palmar e Rio Grande. Já as linhas que conectam a Região Metropolitana, interligando a subestação Guaíba 3 às subestações Nova Santa Rita e Gravataí, passam por Eldorado do Sul, Charqueadas, Triunfo, Montenegro, Nova Santa Rita, Portão, Sapucaia do Sul e Gravataí.

De acordo com a fundação, nos próximos meses a interligação elétrica entre a Região Metropolitana e o Sul do Estado estará completa, visto que o último trecho, com cerca de 221 quilômetros, estará pronto e apto a receber a LO da Fepam. A linha interligará as subestações Povo Novo e Guaíba 3, passando por Rio Grande, Capão do Leão, Pelotas, Turuçu, São Lourenço do Sul, Cristal, Camaquã, Cerro Grande do Sul, Sertão Santana, Barão do Triunfo, Mariana Pimentel, Guaíba e Eldorado do Sul.

Projetos estruturantes de geração e transmissão de energia são considerados estratégicos para o Rio Grande do Sul. Por esse motivo, em 2019 a Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema) criou, junto com a Fepam, um Grupo de Trabalho (GT) para acompanhar o andamento das obras. Periodicamente, os gestores das duas instituições se reúnem com representantes das empresas responsáveis. Essas reuniões visam acompanhar a execução do plano de trabalho de cada projeto e o respectivo andamento da emissão das licenças ambientais.