ONS: carga sobe 3,5% em julho

No Sudeste/ Centro-Oeste, houve aumento de 1% enquanto no Nordeste, variação chegou a 8,6%

O monitoramento do Sistema Interligado Nacional registrou que a demanda por energia em julho teve crescimento de 3,5%, em comparação com o mesmo período de 2020. A carga chegou a 65.519 MW med, de acordo com as informações do boletim mensal de carga do Operador Nacional do Sistema Elétrico.

De acordo com o órgão, embora em ritmo menos acelerado do que o registrado nos meses anteriores, o percentual positivo permanece indicando a retomada da economia decorrente da diminuição das restrições de distanciamento social e o maior acesso da população à vacina. A confiança da indústria avançou pelo terceiro mês consecutivo, ainda que com maior apreensão dos empresários sobre os reflexos nos negócios nos próximos meses. Com relação ao mês de junho deste ano, verificou-se uma variação negativa de 1,9%.

O Operador ressalta que  a ocorrência de temperaturas amenas, inferiores às observadas em julho de 2020, contribuiu de forma contrária para o resultado da carga. No acumulado dos últimos 12 meses, a carga do SIN apresentou uma variação positiva de 5,5%, em relação ao mesmo período anterior, sendo as já citadas, temperaturas amenas responsáveis por contribuir negativamente com 2% nesta variação.

O relatório ainda traz dados consolidados das quatro regiões, que apresentam percentuais positivos. O subsistema Norte se destacou e registrou demanda 8,7% maior ou 5.939 MW med, se comparado com o mesmo mês de 2020. É seguido bem de perto do Nordeste com 8,6% ou 10.934 MW med. A região Sul apresentou incremento de 4,4% ou 11.588 MW med. Já no Sudeste/Centro-Oeste, a carga verificada foi 1% superior ou 37.057 MW med, se comparado com o mesmo mês do ano anterior.