CGT Eletrosul capta R$ 400 mi em debêntures

Valor está dividido em duas séries, a primeira dedicada a projetos 'verdes' e a segunda dedicada a reforçar caixa

A CGT Eletrosul conseguiu captar R$ 400 milhões por meio da emissão de 400 mil debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie quirografária, com valor nominal unitário de R$ 1 mil cada. Foram R$ 185 milhões na primeira série, caracterizadas como “debêntures verdes” e R$ 215 milhões na segunda série.

Segundo o comunicado da estatal, os recursos líquidos das debêntures da Primeira Série serão utilizados para alavancagem de projetos de investimento em Reforços de Transmissão em projetos prioritários aprovados pelo Ministério de Minas e Energia.

Serão ao total nove projetos beneficiados pelos valores levantados junto ao mercado de capitais. E incluem implantação de banco de reatores de barra, ampliação de linhas de transmissão, ampliação de módulos de entrada e substituição de mais de 100 equipamentos de pátio. Essas ações envolvem ativos nos três estados da região Sul.

Já os recursos das debêntures da Segunda Série serão utilizados para reforço de caixa para utilização no curso ordinário dos negócios da companhia.

O prazo de vencimento das debêntures da Primeira Série será de oito anos contados a partir da data de emissão, vencendo em 15 de setembro de 2029. Da Segunda Série será de três, no mesmo dia, mas de 2024. A remuneração será de 5,3455% ao ano, base 252 dias úteis, na segunda incidirão juros remuneratórios correspondentes a 100% do DI.