Copel prevê vender sua participação na Compagás no 1º semestre de 2022

Política de investimentos vai focar em fontes renováveis

Dando continuidade à política de desinvestimentos, a Copel prevê vender participação na Compagás no 1º semestre de 2022. A informação foi dada durante a teleconferência na Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec) nesta sexta-feira, 24 de setembro.

Segundo o CFO, Adriano Rudek de Moura, o processo de venda está em processo de consulta pública. A Copel já havia informado que não iria exercer o direito de preferência na aquisição da participação acionária da Gaspetro na Compagas, o que estava previsto no acordo de acionistas da Compagas, já que “o nosso objetivo é vender o ativo e não vimos interesses econômicos nem estratégicos de adquirir essa parcela da Gaspetro”, disse o Rudek.

A companhia detém 51% do ativo e o objetivo é reinvestir o valor no setor de energia. O executivo afirmou ainda que o foco é a diversificação do portfólio em investimentos em eólica e solar a fim de reduzir o risco hidrológico.