Aneel autorizou 4,88 GW para operação em 2021

Agência bate meta de expansão na geração no ano três meses antes do esperado em grande parte pela liberação da UTE GNA I, em São João da Barra (RJ)

O mês de setembro terminou com a Agência Nacional de Energia Elétrica liberando um total de 4.882,88 MW de usinas de geração para operação comercial em 2021. Com esse volume antecipa-se em mais de três meses à expectativa de 4.790,4 MW definida no início do ano.  No mês, foram 1.798 MW. A previsão da Aneel foi superada em 25 de setembro, 97 dias antes do esperado, quando se chegou à marca de 4.812 MW ampliados no ano. Segundo a agência, grande parte desse crescimento em 2021 veio de fontes renováveis, com 47,69% provenientes de fonte eólica e 10,9% de usinas solares fotovoltaicas.

De acordo com a autarquia, o acréscimo da capacidade em setembro é o maior da média histórica, superando dezembro de 2018, quando foram registrados 1.718 MW. Por unidade federativa, o Rio de Janeiro lidera na expansão em 2021, com  1.338,3 MW, seguido pela Bahia, com 969,74 MW e Rio Grande do Norte, com 937,8 MW.

Até o fim do ano, a expectativa é de que mais 2.552,42 MW entrem em operação no país, sendo mais de 1.000 MW a partir de fonte solar, aproximadamente 800 MW de usinas eólicas e quase 600 MW de outras fontes renováveis, como biomassa e hídricas. Há 79 usinas em operação em teste neste momento, 17 delas a partir de setembro.

O salto observado em setembro deve-se, em grande medida, à entrada em operação comercial da usina termelétrica GNA I, movida a gás natural, com 1.338,30 MW de capacidade instalada – considerada a segunda maior termelétrica do país, no Porto do Açu, Rio de Janeiro. Durante este ano, foram inauguradas ou reabertas usinas em 19 estados das cinco regiões do país.

Dessa forma, o Brasil soma 179.223,1 MW de potência fiscalizada, segundo dados do Sistema de Informações de Geração da Aneel, que é atualizado diariamente com dados de usinas em operação e de empreendimentos outorgados em fase de construção. Desse total em operação, ainda de acordo com o SIGA, 82,69% das usinas são consideradas renováveis.