BBCE: negociações em tela disparam em setembro

Aumento de volatilidade de preços foi um dos motivos para o aumento da atividade expandir 212% na comparação com os números de agosto

A plataforma do  Balcão Brasileiro de Comercialização de Energia para o mercado físico registrou em setembro, aumento expressivo nos negócios em tela em comparação com agosto. A alta chegou a 212% no volume energético, 231% no número de contratos e 171% no volume financeiro. As ofertas também acompanharam o ritmo, com elevação de 97,2%.

Com volume financeiro total de R$ 5,46 bilhões, setembro foi encerrado com 3.794 contratos, incremento de 76,6% em relação a agosto e retração de 39,2% em comparação com setembro de 2021.  Os números apontam redução do preço do MWh e do tíquete médio dos contratos.

Segundo Carlos Ratto, presidente da BBCE, a retomada da perspectiva de chuva, que contribuiu ao aumento da volatilidade, foi um fator crucial ao incremento das atividades de trading. A alta do número de operações foi mais significativa para os negócios em tela que para os formalizados por meio de Boleta Eletrônica, que teve aumento de 25%.

No total, foram negociados na BBCE 13.754 GWh, volume em linha com agosto e 11,2% menor que setembro do ano passado. Do volume energético negociado, destacam-se as operações fechadas na tela, que conquistaram 1.810 GWh. O ativo com mais liquidez em setembro foi o SE CON MEN OUT/21, com 581 mil GWh em 622 contratos e preço do MWh entre R$ 430 e R$ 560. O segundo mais operado foi SE CON MEN NOV/21, com 509 mil GWh em 523 contratos e preço do MWh entre R$ 352 a R$ 527,5. Já o 3º mais líquido foi SE CON MEN DEZ/21, que registrou 280 mil GWh em 304 contratos, entre R$ 301 a R$ 440.

Curva futura

A curva Forward BBCE,  uma das ferramentas de gestão e análise de risco mais utilizadas pelo mercado livre de energia e disponível na BBCE desde 2015, agora poderá ser acessada por quem não é cliente da plataforma através deste link . A metodologia de cálculo da ferramenta prioriza os negócios fechados em tela, que geram informação real time.

As ofertas, também contabilizadas em tempo real, são o segundo critério de formação de preços. Por dia, passam pelos sistemas dessa infraestrutura do mercado de energia, em média, mil ofertas e cerca de 1 mil GWh. Os algoritmos são abastecidos por aproximadamente 60 mil negócios reais que movimentam 200 mil GWh anuais em R$ 30 bilhões