ABNT cria grupo para estudo de barragens

Intenção é buscar padronizações e atualizações, atuando com envolvidos nas obras

A Associação Brasileira de Normas Técnicas acaba de instalar Comissão de Estudo Especial de Barragens, que reunirá representantes de entidades privadas e organismos governamentais. De acordo com o presidente da associação, Mario William Esper, o grupo foi criado por fatores como a necessidade de modernização dos critérios de projetos existentes, para suprir as necessidades atuais de projetistas, fiscalizadores, empreendedores, consultores e todos os demais setores envolvidos nessas obras de engenharia.

Segundo Esper, a nova legislação indica a obrigatoriedade de formação adequada e qualificação técnica mínima para o envolvimento com barragens, gerando a necessidade de processos de acreditação e certificação, nas quais as novas normas serão a base do processo. A nova Comissão de Estudo atuará na normalização no campo de barragens, compreendendo projeto, execução, monitoramento, manutenção, reparo e inspeção de barragens e de estruturas complementares, no que concerne à terminologia, requisitos, diretrizes, especificações técnicas, métodos de ensaio e generalidades.

As entidades que manifestaram apoio à criação da comissão são: Agência Nacional de Águas, Agência Nacional de Energia Elétrica, Comitê Brasileiro de Barragens, Cemig, Copel, Departamento de Água e Energia Elétrica / Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente, Desek, Instituto de Pesquisas Hidráulicas, Intertechne e Neoenergia.

A comissão será coordenada pelo professor José Marques Filho, professor da Universidade Federal do Paraná e ex-diretor de Desenvolvimento de Negócios da Copel. O coordenador é especializado no desenvolvimento de projetos de geração de energia, trabalha com consultoria em estruturas de grande porte e segurança de barragens, bem como desenvolve técnicas de inspeção, monitoramento e intervenção em barragens e seus órgãos complementares.