Enel Rio investe R$ 107 milhões em subestação em Rio das Ostras

SE ELagos é capaz de atender 700 mil clientes e demanda das regiões dos lagos e Norte do RJ

A Enel Rio reuniu na última sexta-feira, 5 de novembro, um pequeno comitê para apresentar os avanços da obra da Subestação de Entroncamento Lagos, localizada em Rio das Ostras. Localizada no Núcleo Urbano Rocha Leão, a nova subestação vai ser interligada à SE Lagos, que pertence à transmissora Zopone. Com esse novo ponto, a subestação injetará até 1.600 MVA de potência na SE Lagos, com a capacidade de atender cerca de 700 mil clientes e à crescente demanda por energia nas regiões dos Lagos e Norte. A companhia irá investir cerca de R$ 107 milhões nesta obra.

De acordo com Rover França, responsável por Obras de Alta Tensão da Enel Rio, a unidade além de trazer maior segurança ao sistema de fornecimento de energia, tem o compromisso de impactar de forma positiva a comunidade em seu entorno com projetos culturais e sociais. Para Luiz Antônio Ferraz, vice-prefeito de Rio das Ostras, o investimento veio em boa hora, já que a região sofre muito na alta temporada, quando chega a duplicar a população com a chegada dos turistas. Segundo ele, o investimento é fundamental para melhorar a qualidade do serviço.

A construção da subestação é parte de uma série de obras programadas pela Enel Rio para aumentar a qualidade do fornecimento e fortalecer a rede na área de concessão da distribuidora no Estado. O projeto da SE contemplou iniciativas mais sustentáveis desde a sua etapa de planejamento. Por exemplo, utilizando um processo de terraplanagem alternativo, o projeto irá reutilizar 40% do solo na própria obra e atividades relacionadas, evitando um descarte massivo de solo. Além disso, as obras no local contemplaram a preservação dos recursos naturais, como a proteção dos corpos hídricos, evitando o assoreamento dos córregos locais por resíduos sólidos.

Outro aspecto projetado de maneira inovadora foi a contenção para as encostas, que utilizam a hidrossemeadura como técnica de plantio. Essa técnica consiste em aplicar uma massa, composta por fertilizantes, sementes e material orgânico na execução da contenção. A hidrossemeadura atua na correção e nutrição do solo, permitindo maior estabilidade do solo durante as obras. No futuro, este local dará espaço para o plantio de espécies nativas e contribuirá para o aumento da biodiversidade local, provendo abrigo para diferentes espécies, e contribuindo para a mitigação dos impactos das mudanças climáticas. Além disso, diminuirá o impacto visual da obra, uma vez que as encostas terão o mesmo tipo de vegetação que o resto da paisagem local.

Também estão previstas iniciativas de eficiência energética durante a sua operação, incluindo 100% de luzes de LED, construção projetada para uso inteligente de iluminação e ventilação natural, sensores de presença e sistema de refrigeração mais modernos e eficientes. A reutilização de recursos também está sendo explorada pela obra, repensando o descarte e reuso de água e materiais.