Ciocchi: Suspensão de medidas veio com a melhora das condições hidroenergéticas

Diretor-geral respondeu as críticas sobre o Operador ter suspendido o recebimento de ofertas de recursos adicionais de geração e de Resposta Voluntária da Demanda

Durante o Brazil Windpower, o diretor-geral do Operador Nacional do Sistema (ONS), Luiz Carlos Ciocchi, respondeu as críticas sobre a suspensão do recebimento de ofertas de recursos adicionais de geração e de Resposta Voluntária da Demanda por conta da melhora das condições hidroenergéticas. Para ele, o Brasil não precisa de energia de ponta neste momento.

O executivo reconheceu a contribuição do setor industrial em deslocar ou reduzir a demanda de energia nos horários de pico para assegurar a manutenção da segurança energética no país, mas disse que o Brasil precisa agora recuperar os reservatórios, que foram fortemente prejudicados pela pior crise hídrica dos últimos 91 anos.

“Não estamos acabando com o Programa de Redução Voluntária da demanda, mas sim, utilizando-o da forma adequada. Neste momento não precisamos de energia de ponta, neste momento a gente precisa replecionar os nossos reservatórios. Então agradecemos a grande contribuição da indústria principalmente neste item, mas agora a gente não faz a conta com essa contribuição”.

O Operador, no entanto, não exclui a possibilidade da retomada das ações em 2022, caso seja identificada a necessidade de recursos adicionais para atendimento à demanda por energia elétrica no País.

O programa de Redução Voluntária da Demanda foi lançado no final de agosto teve foi amplamente publicizado, principalmente entre o setor industrial eletrointensivo. Entretanto, o programa foi suspenso antes do prazo fixado pelo governo unilateralmente sem que os setores e associações envolvidas fossem ouvidos.