Complexo Eólico Oitis recebe primeiro transformador

Empreendimento tem 565,5 MW de capacidade e deve iniciar operação no primeiro semestre de 2022

As obras do Complexo Eólico Neoenergia Oitis estão avançando de forma acelerada. Acaba de ser entregue o primeiro dos três transformadores que serão instalados na subestação Oitis, cada um com capacidade de 230 MVA. Fabricado pela WEG em Betim (MG), o transformador chegou ao empreendimento após 45 dias de viagem, percorrendo 3.297 quilômetros.

Devido ao tamanho do equipamento, que mede cerca de 10,1 metros de altura e pesa 271,1 toneladas (preenchido com óleo), foi necessária uma complexa operação logística. Os outros dois transformadores serão entregues em dezembro. Esses equipamentos transformam a energia gerada nas turbinas para que estejam em níveis adequados para o sistema de transmissão. Ou seja, na subestação Oitis, onde os transformadores serão instalados, a tensão da energia produzida é elevada até 500 kV para que possa seguir pela linha de transmissão até a subestação Queimada Nova II (PI), ponto de conexão ao Sistema Interligado Nacional.

Para o gerente de Projetos Renováveis da Neoenergia, William Carneiro, o Complexo Oitis é estratégico para a Neoenergia e está mantida a construção em ritmo acelerado para gerar energia limpa, contribuindo com o setor elétrico brasileiro. Ainda 2021, será iniciada a montagem dos primeiros aerogeradores, antes do previsto pelo plano de negócios. A estimativa é que a operação comercial comece ainda no primeiro semestre de 2022.

Oitis terá 12 parques, que somarão uma capacidade instalada de 566,5 MW, o suficiente para abastecer uma cidade com 2,7 milhões de habitantes. É um negócio alinhado aos compromissos ESG da Neoenergia. Além disso, terá 96% da sua energia comercializada no mercado livre, seguindo o posicionamento da companhia na liberalização do mercado brasileiro. A construção do complexo gera ainda diversos benefícios para a região. As obras devem gerar 1,5 mil empregos, sendo quase 40% de mão de obra local. Entre os impactos positivos, estão também realização de cursos de capacitação gratuitos e doação de cestas básicas para famílias em situação de vulnerabilidade dos municípios de Dom Inocêncio e São Raimundo Nonato, no Piauí, e Casa Nova, na Bahia.