Transmissoras reforçam oportunidade após vitória em leilão

Para Energisa, lote no Amapá vai diversificar negócios da transmissão e Taesa prevê otimização no capex e antecipação de operação de projeto arrematado

As vencedoras do Leilão de LTs avaliaram os seus êxitos na disputa e revelaram estratégias. A vitória no lote 5 do leilão de transmissão realizado na última sexta-feira, 17 de dezembro, faz parte da estratégia de diversificação da Energisa na área de transmissão, chegando ao estado do Amapá. De acordo com Gabriel Mussi, diretor-presidente de Geração e Transmissão da empresa, com a demanda crescente por energia em diversos segmentos da economia, a empresa está aumentando a participação na transmissão para melhorar a infraestrutura e garantir o fornecimento para consumidores em todo o país.

A Energisa vai construir uma linha de 10 quilômetros com 230kv, conectando as subestações Macapá I e Macapá III com potência de 300 MVA. Com as obras da nova estação, a Energisa espera gerar 461 empregos diretos. o lote no Amapá é o oitavo da Energisa Transmissão adquirido desde 2017. Este mês, a empresa comprou a Geogroup Paranaíta Transmissora por cerca de R$ 100 milhões.

Para a Taesa, que levou o lote 1, a vitória consolida o posicionamento da transmissora como uma das maiores do Brasil. O empreendimento – uma linha de 363 quilômetros em circuito duplo com Receita Anual Permitida de R$ 129,9 milhões – tem sinergias importantes, aproveita a estrutura de Operação e Manutenção existente na Taesa e possibilita otimizações nos investimentos e antecipação do começo da operação, a exemplo do que já foi feito em outros projetos.

O CEO da Sterlite Power Brasil, Amitabh Prasad, ressaltou que levar o lote 2 faz parte dos investimentos da empresa no país. Segundo ele, o setor elétrico brasileiro tem um pipeline de longo prazo. Com esse novo projeto, ele conta que será possível contribuir ainda mais para o escoamento da energia na região da Bahia. A transmissora de origem indiana também possui cinco projetos em andamento no país.

O Lote 4 do leilão, em Minas Gerais, traz para a Neoenergia sinergias durante a construção com outros projetos da empresa, o que já havia sido identificado em estudos prévios para o certame. A vitória no leilão vai aumentar a área de atuação da Neoenergia de modo estratégico na região., além de propiciar o crescimento na geração de receita.