Neoenergia conclui obras de novas subestações

Empreendimentos reforçam o sistema elétrico e possibilitam a ampliação da disponibilidade de energia para se adequar ao crescimento das regiões

A Neoenergia concluiu a construção de seis novas subestações em São Paulo, Bahia e Rio Grande do Norte. Com investimentos de R$ 60 milhões, as novas SE são dotadas de equipamentos com tecnologia de ponta e automatização, além de permitir o monitoramento e a gestão desses empreendimentos a distância, diretamente dos centros de operações das distribuidoras.

A companhia informou que a Neoenergia Elektro (SP e MS) construiu as subestações Iguapé 2 – que tem capacidade de 53,3 MVA, distribuída em dez alimentadores de 13,8 kV – e Pariquera-Açu 2 – com capacidade de 12,5 MVA em cinco alimentadores de 13,8 kV. As duas subestações contam com a tecnologia GIS (Equipamento Isolado a Gás, na sigla em inglês), que aumenta a sua eficiência, e sistema automatizado que permite a realização de manobras remotamente, a partir do Centro de Operação da Distribuição (COD) da Elektro, em Campinas (SP).

Já no Nordeste, três novas subestações foram entregues pela Neoenergia Coelba – Rio Grande 3, Araçás e Rio do Algodão. A construção da subestação Rio do Algodão recebeu investimento de cerca de R$ 28 milhões. Localizado no município de São Desidério, no oeste baiano, o empreendimento tem capacidade de transformação de 20/26,6 MVA e foi construído com o objetivo de aumentar a capacidade de oferta de energia para as atividades do agronegócio, comunidades do povoado de Novo Paraná, em Luís Eduardo Magalhães, e a população Ribeirinha do Rio de Ondas, além de melhorar o nível de tensão e dar maior confiabilidade no fornecimento de energia, pela redução do carregamento nas subestações de Centro Industrial de Cerrado, Mundo Verde e Roda Velha.

A Neoenergia Cosern energizou em setembro a subestação Taipu, a quarta central de distribuição que a empresa colocou em operação em 2021. O empreendimento foi construído com o objetivo de reforçar o sistema elétrico da região do Mato Grande, importante para a agricultura, pecuária e laticínios do Rio Grande do Norte. A nova subestação possui transformador com capacidade instalada de 10/12,5 MVA e três alimentadores, além de ser dotada de equipamentos com tecnologia de ponta e automatização. A gestão é feita em tempo real pelo Centro de Operação Integrada (COI) da Cosern, em Natal.