Setor registra maior acréscimo em potência instalada desde 2016

Eólicas puxaram expansão da matriz elétrica brasileira em 2021 com quase 3,7 GW

O ano de 2021 terminou com 7.562,08 MW adicionados à matriz elétrica nacional, 57,8% a mais do que os 4.790,4 MW estabelecidos como meta em janeiro passado e configurando o segundo maior incremento na série histórica do regulador desde 1997, atrás apenas de 2016, quando o acréscimo chegou a 9.528 MW. Os dados derivam de um levantamento divulgado pela Aneel nessa quarta-feira, 05 de janeiro.

Prejudicado pela maior escassez hídrica em 91 anos, 2021 também será lembrado pela maior ampliação da geração eólica registrada no país. As usinas movidas pela força dos ventos responderam por 3.694,32 MW de potência instalada, marca que ultrapassou em larga medida os 2.786 MW liberados pela Agência em 2014, até então o recorde de entrada em operação da fonte no Brasil. Atualmente as EOLs constituem 20,8 GW, respondendo por 11,46% da matriz.

A capacidade instalada nesse tipo de fonte no ano correspondeu quase à metade (48,85%) do acréscimo total de potência no período. Já as termelétricas tiveram expansão de 2.449,69 MW (32,39%) e as solares de 1.299,46 MW (17,18%). As pequenas centrais hidrelétricas agregaram 114,14 MW à matriz, 1,51% do total no ano.

Usinas foram inauguradas ou reabertas em 20 estados das cinco regiões do país em 2021. Os estados com maior acréscimo foram, em ordem decrescente: Bahia (1.532,38 MW), Rio Grande do Norte (1.505,69 MW) e Rio de Janeiro (1.338,30 MW).

Geração para o mercado livre

Com liberação de 1.122 MW, o mês de dezembro foi o segundo em acréscimo de potência no ano que passou, com todos os empreendimentos destinados ao mercado livre. Setembro foi o de maior expansão, com 1.798 MW, sendo 1.338,30 MW provenientes da entrada em operação comercial da usina térmica GNA 1, movida a gás natural e considerada a segunda maior UTE do país, localizada no Porto do Açu (RJ).

De acordo com o Sistema de Informações de Geração da Aneel, o SIGA, atualizado diariamente com dados de usinas em operação e de ativos outorgados em fase de construção, 82,96% da energia elétrica em operação é gerada por fontes renováveis. Outras informações sobre o acompanhamento da expansão da oferta de geração estão disponíveis em painéis interativos do regulador, atualizados mensalmente.