Climatempo explica o extremo de chuva registrado no sul da Bahia e norte de Minas

Dados do boletim apontam que o mês de dezembro de 2021 foi o mais chuvoso há pelo menos 15 anos

A Climatempo divulgou um novo boletim, que já está disponível na Biblioteca do Portal CanalEnergia, onde aborda os eventos climáticos que vem causando as intensas chuvas que atingiram a região do Sul da Bahia e Norte de Minas Gerais. De acordo com a Climatempo, o acumulado de chuva em dezembro de 2021 ultrapassou, e muito, a média de todo o mês. Em algumas estações meteorológicas do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), o mês de dezembro de 2021 foi o mais chuvoso há pelo menos 15 anos.

Embora alguns estudos já tenham detectado que as mudanças no regime de chuvas da Região Nordeste são para um clima mais seco ao longo dos anos, as mudanças no regime de chuvas extremas se comportam diferentemente para algumas sub-regiões do Nordeste brasileiro, como é o caso do Sul da Bahia. Contudo, relacionar a causa de um evento isolado às mudanças climáticas não é uma tarefa fácil ou simples. Apesar do mundo estar vivendo um momento mais quente, mais energético, são precisos diversos estudos e metodologias para comprovar tal teoria.

O principal fenômeno meteorológico responsável por este elevado acumulado de chuva mensal foi a Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS). Esse sistema consiste em uma faixa de nebulosidade estacionária orientada de Noroeste para Sudeste (NW-SE) que se estende por milhares de quilômetros. Neste caso, a posição das ZCAS neste período influenciou os estados de Tocantins, Bahia, Minas Gerais e Espírito Santo.

No setor de energia, esses eventos de chuvas intensas afetam tanto na área de transmissão, quanto na distribuição, onde a maior preocupação é com o aumento de desligamentos e o número de clientes com energia interrompida, seja por motivos de raios, ventos fortes ou, até mesmo, por queda de estruturas e árvores. Na matriz solar, além de um possível dano físico por alagamento, ventos fortes e precipitação, existe a influência quanto ao potencial de geração. Na matriz eólica o comprometimento também fica à cargo da alteração do ventos, além de também poder ocasionar danos físicos.

Para saber mais detalhes desse boletim ou de todos os outros, acesse o portal da Climatempo e nossa Biblioteca, além de acompanhar as novidades, toda quarta-feira, ao vivo, no CanalEnergia Live.