Tarifa residencial aumenta o dobro da inflação, aponta Abraceel

A elevação média entre 2015 e 2021 foi de 16,3% enquanto o IPCA teve uma variação de 6,7% ao ano

Um estudo realizado pela Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia mostra que, nos últimos sete anos, o reajuste das tarifas no mercado regulado ficaram acima da inflação no período. Na classe residencial, o aumento médio anual foi de 16,3% entre 2015 e 2021, enquanto o IPCA teve uma variação de 6,7% ao ano.

Na análise da entidade, os gastos com energia elétrica representaram 10,65% da variação do IPCA. Já no mercado livre os preços oscilaram 25% abaixo da inflação desse mesmo período, compara a Abraceel. “Em 2021 o IPCA teve uma variação de 10,06%, enquanto a energia elétrica aumentou 21,21% com impacto de 0,98 ponto porcentual no IPCA do ano passado”, ressaltou a associação.

Para o vice presidente de Energia da associação, Alexandre Lopes, esse levantamento mostra como a abertura do mercado livre a todos os consumidores poderia impactar de forma positiva a economia. A expectativa para os próximos anos não é diferente, pois ainda deverão ser repassados os custos de 2021. “Isso indica que, provavelmente teremos outro aumento acima da inflação em 2022”, avaliou.