ENC Energy vendeu mais de 245 mil I-RECs por biogás de aterro em 2021

Empresa foi primeira do ramo a emitir o certificado renovável

A ENC Energy é a primeira empresa do ramo de geração de energia por meio do biogás de aterro sanitário a emitir o certificado I-REC. Em 2021, a companhia vendeu mais de 254 mil certificados I-RECs para a Ecom Energia. Para 2022 a companhia almeja planos ambiciosos, por conta da alta demanda do setor. Somente na primeira quinzena de janeiro, já foram fechados contratos de vendas para, aproximadamente, 10% dos certificados previstos para o ano inteiro. De acordo com Henrique Fernandes, Gerente Comercial responsável pela comercialização na região nordeste brasileira, a ENC abastece mais de 100 clientes em todo o Brasil com a energia gerada nas suas usinas e com os I-RECs, os compradores poderão se certificar que o consumo veio de uma fonte renovável e limpa.

O programa de certificação Internacional I-REC, representado no país pelo Instituto Totum, é um sistema global que contabiliza e rastreia a energia renovável. Ou seja, os I-RECs comprovam que a eletricidade produzida e consumida pelas empresas é proveniente de fonte renovável de energia. Cada certificado I-REC equivale a 1 MWh de energia gerada por fonte renovável.

A emissão é considerada de extrema importância para o país, por mostrar o potencial do biogás brasileiro com a geração de energia limpa e renovável. Por meio das certificações, todos os consumidores de energia elétrica, tanto do mercado cativo quanto no mercado livre de energia, podem comprovar a rastreabilidade da energia que consomem. Cada usina registrada no sistema global I-REC tem sua energia rastreada, não havendo a possibilidade de duplicação de certificados.

Em 2021, o Brasil emitiu mais de 9 milhões de I-RECs certificados, mais que o dobro de 2020. Para Igor Urasaki, Diretor Comercial e de Novos Negócios, ter acesso a essas certificações eleva o mercado brasileiro de geração de energia a outro patamar, já que a ENC passa a seguir as políticas e exigências internacionais realizadas pelos grandes compradores mundiais de energia renovável. Ainda segundo ele, o Brasil é o segundo maior em emissão de I-RECs do mundo, o que mostra o grande potencial do mercado local.