Geração da UTE Porto de Sergipe foi reduzida em 30%, diz ONS

Boa hidrologia do começo do ano motivou pedido para alteração no despacho, mas uso do GNL impede redução imediata

O Operador Nacional do Sistema Elétrico informou que nesta terça-feira, 25 de janeiro, que em 13 de janeiro de 2022, enviou Carta Nº 0087/2022 à Agência Nacional de Energia Elétrica, formalizando que estava em negociação com a UTE Porto de Sergipe, desde o início de janeiro, para possibilitar a redução do despacho da usina, tendo em vista as afluências favoráveis que estavam sendo observadas nas bacias hidrográficas localizadas nas regiões Norte e Nordeste. Após a concordância da Aneel, desde o dia 14 de janeiro a geração da UTE Porto de Sergipe foi reduzida em cerca de 500 MW, passando a 1.030 MW, o equivalente a uma redução aproximada de 30% de sua capacidade total.

O ONS destacou que a termelétrica usa Gás Natural Liquefeito, cujo despacho é definido com 60 dias de antecedência. Assim, de acordo com o operador, não é possível reduzir de imediato o despacho, já que a compra do combustível é feita de forma antecipada. Por essa razão o ONS deu início a negociações, visando encontrar uma forma de reduzir a geração da UTE Porto de Sergipe resultando em redução de custos para o consumidor brasileiro. A Aneel respondeu concordando com as análises e as propostas feitas e sinalizando que estava de acordo com a proposta apresentada. A iniciativa é parte do compromisso do ONS em fazer a gestão correta dos recursos existentes e prezar pela transparência na sua atuação.

O ONS ressaltou ainda que o acionamento da UTE Porto de Sergipe foi aprovado pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico como uma das medidas para o enfrentamento da escassez hídrica do período 2020-2021. Devido ao prazo de 60 dias para o despacho de usinas a GNL, a geração em janeiro de 2022 foi definida em novembro de 2021, quando ainda havia um cenário incerto com relação às chuvas. Neste sentido, a usina vinha sendo acionada em sua capacidade plena de 1.500 MW, com interrupção programada para 4 de março.

Pela sua localização, a UTE Porto de Sergipe concorre com as usinas hidrelétricas, termelétricas, eólicas e fotovoltaicas localizadas no Norte e Nordeste pela capacidade de transferência energética dessas regiões para o Sul, Sudeste e Centro-oeste. Nesse início de 2022, as precipitações verificadas no Norte e Nordeste ficaram muito acima da média, resultando em afluências bastante elevadas, especialmente nos rios Xingu, Tocantins e São Francisco, fato que, juntamente com a geração eólica e fotovoltaica do Nordeste, provocou o esgotamento da capacidade de intercâmbio entre os subsistemas. Com a redução do despacho de UTE Porto de Sergipe, nos momentos em que essa capacidade estaria sendo atingida, abre-se espaço para maior aproveitamento das demais fontes, de menor custo ao consumidor.