Reservas da Eneva somam 46,3 bi metros cúbicos de gás

No principal hub da empresa, no Maranhão, volume é suficiente para 17,8 anos de produção de energia

A Eneva informou que as suas reservas totais de gás natural somavam 46,3 bilhões de metros cúbicos ao final de 2021. Desse volume, 32 bilhões m³ eram classificadas como provadas e ainda há outros 36,6 bilhões m³ na categoria possível. Na principal área da empresa, a Bacia do Parnaíba, a empresa possui combustível para 18,7 anos, informou a companhia em comunicado, ao considerar a produção média anual dos últimos 5 anos, que é de  1,578 bilhão de m³.

No cálculo que indica as reservas totais a empresa contabiliza apenas o volume desenvolvido na linha que está classificada como certificada (2P). Por isso o total não contempla a soma das reservas 1P e 2P, conforme se vê na tabela divulgada pela empresa.

Do volume provado (1P) 82% está concentrado na bacia do Parnaíba (MA) onde a empresa detém um complexo térmico próximo às suas reservas. O restante está na Bacia do Amazonas. Nas reservas totais os campos maranhenses apresentam 74,5% do combustível que a empresa detém.

Em seu comunicado a Eneva aponta que considerando que a produção em 2021 foi de 2,146 bilhões de m³, foram incorporados 6,882 bilhões de m³ de reservas totais 2P em 2021, resultando em um Índice de Reposição de Reservas Total de 321%. Somente na Bacia do Parnaíba, o Índice de Reposição de Reservas (IRR) foi de 264%.  a relação entre o volume de reservas e o volume produzido (R/P) é de 18,7 anos.