Neoenergia avança com projeto de eletromobilidade em Noronha

Trilha Verde prevê inserção de 18 veículos elétricos, 12 ecopostos e duas UFVs para avaliar aderência às atividades da ilha e possibilidade de novos modelos de negócios

A Neoenergia lançou oficialmente na última segunda-feira, 21 de março, o projeto que irá ampliar a mobilidade elétrica no arquipélago de Fernando de Noronha, com a inserção de 18 veículos elétricos no Patrimônio Natural da Humanidade, reconhecido pela Unesco. A iniciativa prevê ainda a construção de mais duas usinas solares, uma com sistema de armazenamento feito pela Weg para utilização à noite visando o suprimento da frota, que contará com quatro buggies.

As ações do Trilha Verde integram o Programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) da empresa regulado pela Aneel e neste caso com a parceria do Governo de Pernambuco e outras empresas. Os veículos serão enviados e incorporados às principais atividades econômicas da ilha, como trade turístico, administração distrital e à própria operação da concessionária. A intenção é analisar a aderência às mais variadas atividades até final de 2023.

As informações coletadas serão submetidas a avaliações de viabilidade dos modelos de negócios para a concepção posterior de um mapa orientativo para futuras ações relacionadas à eletromobilidade na região. Nesse sentido, o projeto também beneficiará empreendedores locais e o poder público. Em Noronha não poderão entrar veículos a combustão a partir de agosto de 2023 e, a partir de 2030, será vedada a circulação de carros movidos a gasolina, diesel e etanol.

Duas novas usinas vão somar 100 KWp para abastecimento da frota de veículos elétricos na ilha (Neoenergia)

Os 12 novos ecopostos serão instalados em pontos estratégicos e disponibilizados para todos os carros da ilha. Serão oito pontos de recarga com potência de 22 kW, que possibilitam uma recarga mais rápida, e outros dois com potência de 7,4 kW. As duas últimas unidades terão suporte a V2G (vehicle-to-grid), com fluxo bidirecional, onde o veículo pode utilizar a estação para recarga ou para “devolver” a energia não utilizada, como em eventuais períodos de alta demanda da rede.

O abastecimento será realizado totalmente com energia limpa, fornecida pela geração fotovoltaica das duas novas UFVs. A potência instalada total das plantas será de 100 kWp, com a primeira prevista para ser iniciada ainda em março. A capacidade é aproximadamente três vezes maior do que a necessidade inicial do projeto, com o excedente podendo ser injetado na rede de distribuição, ampliando o uso de uma fonte renovável pelos consumidores de Noronha.

A Neoenergia conta com outros parceiros no projeto, como o CPqD, responsável pela execução de atividades técnicas, desenvolvimento de software, estudos estratégicos, entre outras ações. O IATI é o responsável por estudos, atividades e análises ambientais e socioeconômicas, e a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), pela análise e modelagem de negócios.

Os quatro buggies para atividades de turismo serão fornecidos pela eiON, os seis eletropostos pela Incharge e a Renault cederá seis veículos leves, além de quatro adquiridos pela Neoenergia, capacitando também profissionais locais para realizar manutenções nos carros. As ações estão em alinhamento com o Programa Carbono Zero, do Governo de Pernambuco.