CCEE destaca participação de agentes em CP sobre alteração dos modelos

Mudança na aversão ao risco pode impactar em planejamento e aumento do PLD e contratação de oferta

A participação dos agentes nas contribuições para a Consulta Pública 121 do Ministério de Minas e Energia – que trata de propostas para alteração nos modelos – foi destacada pela conselheira da Câmara de Comercialização de Energia Talita Porto em painel sobre a formação de preços no “Agenda Setorial 2022”, realizado nesta segunda- feira, 18 de abril, no Rio de Janeiro (RJ). De acordo com ela, pontos como a adoção do cenário futuro e a adesão à curva de referência definida pelo CMSE foram ideias dos agentes e também de universidades. Os aprimoramentos vão aproximar o modelo da realidade executada, mitigando descompassos e lacunas.

O próximo passo é fazer uma operação ‘sombra’ com as simulações dos novos parâmetros, mas retroativa a janeiro deste ano e a partir de maio, continuar uma simulação em paralela com a oficial até dezembro, de maneira a se comparar como seria o modelo caso já estivessem em uso em 2022 as decisões que vão ser adotadas em janeiro de 2023. Já foi definido que as alterações serão na melhoria da representação do cenário hidrológico, na revisão do processo interativo e na nova aversão ao risco.

Para Celso Dall’ Orto, líder de Estudos de Planejamento Energético da PSR, que também participou do painel, os novos parâmetros no modelo de preço, em especial na aversão ao risco, poderão trazer como impacto um aumento e volatilidade no Preço de Liquidação das Diferenças e a necessidade de contratação de mais energia térmica no longo prazo. Ainda segundo ele, o GSF também poderá ser afetado. Para ele, a aversão ao risco é um trade-off entre a segurança e o custo. “A calibração deve ser feita de acordo entre o sistema futuro e como ele é operado de fato”, explica. Ele lembrou que em 2013 foram feitas alterações indiretas e que agora a tentativa é de dar uma abordagem mais física a essa metodologia indireta usada.

Durante o painel, houve um pedido dos agentes para mais celeridade na publicação de atas da Cpamp, de maneira a trazer mais transparência a todo o processo. O pleito é que sejam publicadas no mesmo dia da reunião.