Enel admite interesse em vender distribuidora de Goiás

Comunicado diz que decisão caberá apenas ao acionista e ainda não há nenhum tipo de acordo ou oferta

A Enel Goiás revelou em comunicado que o seu controlador, o Grupo italiano Enel, está avaliando manifestações de interesse em potencial venda das ações que possui na distribuidora. De acordo com o comunicado, a operação é uma decisão que cabe apenas aos seus acionistas e que não há nenhum tipo de acordo, oferta ou proposta vinculante de alienação de ações da Companhia ou seus ativos.

“A Companhia reitera que a conveniência e oportunidade de alienação das ações de sua emissão é decisão que cabe exclusivamente aos seus acionistas e que, conforme ratificado por seu acionista controlador, não há atualmente qualquer acordo, oferta ou proposta vinculante de alienação de ações da Companhia ou seus ativos”, diz o comunicado.

Ainda de acordo com o comunicado, qualquer tipo de operação vai depender da obtenção das aprovações necessárias e observará os termos da regulamentação aplicável caso seja necessário. Segundo a Enel Goiás, o mercado será avisado dos próximos passos.

A antiga Celg-D, foi privatizada em 2016, quando foi arrematada pela Enel em lance único de R$ R$ 2,1 bilhões, um ágio de 28%. A Eletrobras e o governo estadual eram os principais acionistas da distribuidora, que era administrada pela estatal federal. O governador do estado, Ronaldo Caiado, na época senador, era um opositor político do processo. Após ser eleito, teceu em 2019 fortes críticas ao serviço da concessionária, chegando a pedir a saída da Enel e uma novo leilão para a concessão.