Celesc lança primeiro edital para compra e venda de energia

Medida está em linha com reposicionamento estratégico da empresa

A Celesc deu a largada para o seu primeiro Edital da Chamada Pública de Compra e Venda para Comercialização de Energia. Com isso, a estatal catarinense traz para o estado um modelo de negócio que possibilita a negociação de energia com agentes da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica que atuam no ambiente livre. O edital esta disponível neste link . As negociações devem ocorrer em etapas, ao longo do ano, e focadas no ACL, de acordo com produtos e cronograma específicos, que serão divulgados aos interessados que solicitarem cadastro para recebimento pelo e-mail mesa.energia@celesc.com.br.

Cada etapa da Chamada Pública será divulgada por e-mail, informando a posição da Celesc de compradora ou vendedora, os produtos negociados e o cronograma, além de realizada por meio de apresentação de propostas enviadas pelo e-mail mesa.energia@celesc.com.br. Os proponentes poderão apresentar apenas uma proposta para cada produto e podem substituir uma proposta já enviada, por outra mais vantajosa, enviada durante o período definido no cronograma.

O preço da energia negociada será referente ao primeiro dia do mês em que ocorrer a etapa do certame. As propostas deverão observar os limites informados para os produtos negociados, sob risco de desclassificação. Serão consideradas vencedoras as propostas de venda com menor preço, até aquela que completar a quantidade demandada. Já para propostas de compra, para cada produto ofertado pela Celesc, serão classificadas as que ofertarem preços iguais ou superiores ao mínimo. Caso não haja preço máximo ou mínimo, todas as propostas serão consideradas. As vencedoras serão verificadas pela comparação da quantidade ofertada com as propostas enviadas, a partir daquela de maior preço.

Segundo o diretor de Geração, Transmissão e Novos Negócios da Celesc, Pablo Cupani, após o reposicionamento estratégico da empresa em 2021 pautado na revisão do Plano Diretor, houve entrada para a comercialização de energia e geração solar, dando uma contribuição ainda maior ao desenvolvimento socioeconômico no estado.