Eneva fecha contrato inédito de GNL para a Suzano

Acordo de 10 anos e valendo a partir de 2024 é o primeiro no país com o produtor suprindo diretamente um cliente industrial

A Eneva fechou um contrato de dez anos para suprimento industrial de Gás Natural Liquefeito (GNL) rodoviário de pequena escala para a fábrica de bioprodutos da Suzano em Imperatriz (MA), num acordo inédito no país entre produtor e cliente industrial. O fornecimento comercial está previsto para iniciar no primeiro semestre de 2024.

Em comunicado a companhia afirmou que o suprimento virá a partir de suas concessões na Bacia do Parnaíba, onde será instalada uma unidade de liquefação com capacidade instalada de 300.000 m³ por dia e investimento estimado em R$ 530 milhões, destinada majoritariamente para atender a empresa e novos potenciais clientes na região.

Após o transporte do insumo por carretas criogênicas até a fábrica, o GNL passará por um processo de regaseificação para queima em fornos de cal, substituindo o uso do óleo combustível, o que representa uma redução de 13% nas emissões de gases do efeito estufa. A Suzano já é considerada uma empresa positiva para o clima, o que significa que ela captura mais CO2 da atmosfera do que emite em suas operações. Com a parceria, a fabricante deverá ampliar ainda mais o saldo favorável entre emissões e captura de carbono.

“Além de gerar investimentos para o Maranhão e contribuir para reduzir a emissão de CO2, o fornecimento de pequena escala inaugura um novo modelo de negócios não só para a Eneva e a Suzano, mas que pode servir de modelo para todo o país”, destaca o CEO da Eneva, Pedro Zinner.