Tarifas da Cocel terão reajuste médio de 10,59%

Na composição da tarifa, custo da energia representa 33,8%

A Aneel definiu em reunião da diretoria realizada nesta terça-feira, 28 de junho, que o reajuste tarifário da Cocel (PR) terá efeito médio de 10,59%. Na alta tensão, o impacto ficam em 23,15%, enquanto na baixa tensão, chega a 2,04%. A distribuidora, que tem base na cidade de Campo Largo, poderá aplicar o novo valor a partir do próximo dia 29 de junho.

De acordo com a agência, o efeito médio de 10,59% vem do reajuste dos itens das Parcelas A e B e da inclusão dos componentes financeiros apurados no atual reajuste, levando a uma variação de 9,62% e da retirada dos componentes financeiros estabelecidos no último processo tarifário, que contribuíram para uma variação negativa de 7,15%. O cálculo da tarifa considerou a proposta de regulamentação do componente tarifário denominado CDE Modicidade Eletrobras que trata da inclusão dos aportes na Conta de Desenvolvimento Energético devido a capitalização da Eletrobras.

Na composição da tarifa, os maiores pesos ficaram com os Custo de Energia, com 33,8% e de encargos setoriais, com 25%. O Custo de Transporte chega a 20,9% e o de distribuição em 20,3%. A Cocel tem cerca de 55 mil unidades, com um consumo que representou faturamento de R$ 125 milhões em 2021.